LIPOR II/LAGOAS E MOINHOS DAS CARVALHAS
 
 
A Lipor é a entidade responsável pela gestão, valorização e tratamento dos Resíduos Urbanos produzidos pelos oito municípios que a integram: Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo e Vila do Conde.
A Lipor II, situada na Maia, é uma unidade de incineração de Resíduos Sólidos Urbanos com recuperação de energia tendo por resultado cinzas que são depositadas em alvéolos que, quando preenchidos são selados e recuperados ambiental e paisagisticamente.
A Lipor II localiza-se na margem direita do rio Leça numa paisagem que desde há muitos séculos tem sido profundamente trabalhada pelo homem, refletindo-se essa ação na morfologia do terreno, quintas, muros, represas, levadas, moinhos e, recentemente em infraestruturas como: estradas, metro, aterro, etc.
Na recuperação dos aterros das cinzas após selagem e sua inserção no contexto desta paisagem foi desenvolvida uma proposta cujo desenho e programa assentam essencialmente nas dinâmicas ecológicas próprias do local, aspetos de caráter cultural inscritos na paisagem e controlo ambiental.
Foram assim considerados como principais elementos de composição do espaço:
- Áreas agrícolas
Incluídas nos solos mais produtivos e situadas em áreas inundáveis, junto da margem do Leça. Pretende-se a manutenção da prática da agricultura fazendo-se a introdução nos processos produtivos de fertilizantes resultantes de compostagem realizada na Lipor I e a aplicação de práticas agrícolas tendencialmente orientadas para a agricultura biológica.
- Áreas de floresta
Entendidas como unidades unificadoras e de continuidade da leitura da paisagem. Áreas com biodiversidade e multifuncionais, sendo capazes de criar novos e vários habitats.
- Lagoas depuradoras
Implantação de lagoas para retenção de águas provenientes da drenagem de águas pluviais e da etar. Tratamento da água nas lagoas por processos de fitorremediação. Em função dos caudais e volumes de água disponíveis poder-se-á verificar a oportunidade da utilização destas lagoas como reservatórios para rega.
- Moinho
Um moinho de água é hoje um marco de carácter cultural pela divulgação da história do local, do património existente, da evolução da paisagem. A sua recuperação e aproveitamento para produção de energia é um fator importante na perspetiva da educação ambiental.
- Aterro - recuperação
Tendo por objetivo a desmistificação das questões relacionadas com a perigosidade dos aterros após a selagem, considera-se fundamental que se possa ter acesso e fruição pública aos vários pontos do aterro e que este seja visível a partir de estradas e metro. Atendendo a que será um espaço de uso público, propõe-se a definição de modelações apelativas para a estadia de todas as classes etárias. As sementeiras preconizadas oferecem grande dinamismo sazonal havendo uma grande diversidade de espécies de flor durante a primavera e verão.

Promotor:
LIPOR-Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto

Local:
Maia, Portugal
  Área:
17.2ha

Coordenação e projeto:

Laura Costa, Raquel Frias, Sérgio Pinto
  Data de projeto:
2009
 
 
2013, Laura Roldão Costa - Arquitetura Paisagista
Início | Contactos