PRIP DA BARRAGEM DA CANIÇADA
 
 
Os principais objetivos orientadores do desenho de recuperação desta paisagem foram a organização espacial e a conceção dos espaços no sentido da maximização do coberto vegetal e a preservação e promoção do valor paisagístico e cénico da paisagem. Também se atenderam a questões fundamentais como as de se assegurar o funcionamento dos fluxos hídricos, garantir a estabilidade dos solos e promover a biodiversidade.
Desenvolveu-se uma proposta que pretende repor uma paisagem naturalizada onde as ações do homem se encontram presentes nos elementos construídos do passado e do presente num desenho que respeita a matriz da paisagem sendo traduzida nas cores, texturas, volumes, diversidade de sensações, fauna e flora e morfologias intimamente associadas às ecologias.
Nesta unidade de paisagem os princípios compositivos foram dados pelo caráter do local (Genius loci), pelo funcionamento biofísico da paisagem e pelos elementos construídos associados à barragem da Caniçada onde os afloramentos rochosos se misturam com os verdes intensos da vegetação e os betões da barragem, com as ramadas em socalcos que espreitam campos de pasto, os Eucaliptais e Pinhais se misturam com Matas de Cupressos e Tílias. A cor, os cinzentos, os verdes, os ocres, em apontamentos sobre o território aparecem como “instalações” deslumbrantes que pontuam a paisagem em diferentes níveis e escalas, envolvendo todo um território que está permanentemente em ação, por vezes controlado pelo Homem, por vezes pelos “Deuses”.
A Matriz Agrícola/Floresta - Informal/Formal foi a estrutura definidora da nova morfologia do terreno e dos panos de plantação e composições das sementeiras.

Promotor:
EDP - Energias de Portugal, S.A.

Local:
Vieira do Minho, Portugal

Área:
2.8ha
  Coordenação e projeto:
Laura Costa; Sérgio Pinto; Ricardo Bessa

Engenharia Projeto:
Ferreira Lemos Engenharia Lda.
  Engenharia Construção:
Mota Engil Engenharia

Data de projeto:
2012
 
 
2013, Laura Roldão Costa - Arquitetura Paisagista
Início | Contactos