PRIP DA BARRAGEM DE SALAMONDE II
 
 
Os princípios que orientaram a realização do projeto foram a manutenção e a promoção da qualidade ambiental, garantindo-se a presença de elementos ou unidades territoriais que assegurem a salubridade essencial e o metabolismo dos sistemas vivos.
Quanto aos objetivos ponderados e orientadores do desenho do espaço foram o da organização espacial e conceção dos espaços no sentido da maximização do coberto vegetal e a preservação e promoção do valor paisagístico e cénico da paisagem, promovendo-se, quando possível, a consciencialização nos utilizadores das várias oportunidades que os espaços de recuperação e requalificação da paisagem oferecem ao nível da proteção ambiental e oportunidades de recreio e lazer.
Considera-se que mesmo quando perante intervenções de recuperação da paisagem são as questões como biodiversidade e preservação dos sistemas naturais (aspetos de carácter biofísicos e ecológicos) as fundamentais, mas também se considera que se terão de atender a critérios estéticos no sentido de se garantirem paisagens belas e atrativas.
O projeto de Integração Paisagística da Escombreira de Salamonde pretende ultrapassar a mera resolução das questões técnicas de estabilização e de integração de “feridas” provocadas na paisagem e procura aproveitar esta intervenção para desenhar uma “nova paisagem”, onde a marca da humanização se reflita na construção de paisagens que o tempo venha a consolidar e transformar em áreas atrativas, quer pelas cores, volumes e novas formas obtidas (modelações), quer pela vegetação que se vai aplicar, privilegiando-se a inserção de espécies autóctones e promovendo-se as dinâmicas ecológicas do local.
A proposta para a Escombreira preconiza a aplicação de um conjunto de ações ao nível das plantações e sementeiras que asseguram a mais rápida e adequada estabilização de taludes e plataformas tendo em consideração as condições especificas do local e tipologia da obra, utilizando-se materiais vivos (plantas) capazes de responder a situações (sistemas criados pelo homem) de grande agressividade mas, também, aptos a criarem impressões visuais positivas nesta “nova paisagem”.

Promotor:
EDP - Energias de Portugal, S.A.

Local:
Amares, Portugal

Área:
8.9ha
  Coordenação e projeto:
Laura Costa, Sérgio Pinto

Engenharia Projeto:
Ferreira Lemos Engenharia Lda.
  Engenharia Construção:
Somague SGPS, MSF Engenharia SA, Mota-Engil SGPS.

Data de projeto:
2010
 
 
2013, Laura Roldão Costa - Arquitetura Paisagista
Início | Contactos